20090618

O que concebemos...


"A vida é para nós o que concebemos dela.

Para o rústico cujo campo lhe é tudo, esse campo é um império.

Para o César cujo império lhe ainda é pouco, esse império é um campo.

O pobre possui um império; o grande possui um campo.

Na verdade, não possuímos mais que as nossas próprias sensações; nelas, pois, que não no que elas vêem, temos que fundamentar a realidade da nossa vida."


Ao ler estas palavras de Pessoa fico a pensar como às vezes nos deixamos levar pelo materialismo. Estamos tão habituados ao telemóvel, por exemplo, que para muitos um dia sem ele é um desafio, uma prova de esforço.

Hoje esqueci-me do meu telemóvel em casa... quando dei por falta dele pensei "ora bolas, e se alguém me ligar para algo importante e eu não atender?"

Não demorou muito para eu perceber como este pensamento foi conformista! Afinal de contas se for alguma coisa importante se souber só depois não faz qualquer diferença!

No final da história, não senti falta do telemóvel e quando cheguei a casa não havia nenhuma chamada não atendida nem qualquer mensagem à minha espera...