20070404

O vendedor de balões...


Era uma vez um velho homem que vendia balões numa feira popular. Evidentemente, o homem era um bom vendedor, pois deixou um balão vermelho soltar-se e elevar-se nos ares, atraindo, desse modo, uma multidão de jovens compradores de balões.
Havia ali perto um menino negro que observava o vendedor e, é claro apreciava os balões.
Depois de ter soltado o balão vermelho, o homem soltou um azul, depois um amarelo e finalmente um branco. Todos foram subindo até desaparecerem de vista.
O menino, de olhar atento, seguia cada um.
Ficava a imaginar mil coisas...
Mas uma coisa o aborrecia, o homem não soltava o balão preto! Então aproximou-se do vendedor e perguntou-lhe:
- Se o senhor soltasse o balão preto, ele subiria tanto quanto os outros?
O vendedor de balões sorriu compreensivamente para o menino, arrebentou a linha que prendia o balão preto e enquanto ele se elevava nos ares disse:

- Não é a cor, filho, é o que está dentro dele que o faz subir.

Palavras que lutam contra o racismo de Anthony de Mello...
É incrível como ainda há tanta descriminação levada pelo racismo, mesmo quando pensamos que os tempos mudaram, ainda se observam nas ruas marcas dessa exclusão social...

Se alguma vez presenciarem (como eu já presenciei) não deixem que isso vos passe ao lado!
Como dizia Martin Luther King "o que me preocupa não é o grito dos maus... é o silêncio dos bons!"